“Prezado motorista, eu sou um ciclista”
Mon, 25/08/14 – 14:11 | Nenhum Comentário

A ONG ENDEVR, mais conhecida como a criadora da pulseira médica MyID, lançou a campanha “Dear Motorist” (Prezado Motorista) com o objetivo de promover a segurança da atividade ciclista nos EUA.
Segundo dados fornecidos …

Continue lendo »
Assim não!!!

O que uma Organização Pública NÃO deve fazer para realizar uma boa comunicação… Imperdível!!!!

Comunicação Digital

Tire suas dúvidas sobre o universo da Comunicação Digital. Novas mídias, estratégias de comunicação digital…

Comunidade Interlegis

Saiba o que acontece na comunidade mais importante do Poder Legislativo brasileiro.

O Design Público

A comunicação publicitária a serviço do interesse público. Campanhas publicitárias, mobilização social, design…

Tipografia

Discuta, aprenda, crie… e tire suas dúvidas sobre tipografia, design gráfico e comunicação visual.

Home » Comunidade Interlegis, Leia também

Conheçam Paulo Fernandes, o criador do GITEC.

Postado por em Wednesday, 14 January 20099 Comentários

paulo_fernandes_entrevista_capa

A entrevista que vocês vão ver abaixo, é um marco na história do Chapa Branca. Paulo Fernandes de Souza não é apenas o “pai biológico” do Gitec, comunidade que originou o nosso Blog. Paulo foi (e ainda é) um daqueles pais exemplares. Acompanhou e participou ativamente de cada momento da vida da comunidade. Desde os trôpegos primeiros passos da infância, passando pela fase efervescente e conflituosa da adolescência, até os dias (atuais) de “estabilidade”, típicos da maturidade.

A comunidade Gitec não seria o que é hoje sem o trabalho desse cara. O seu empenho foi determinante para a formação do “espírito de grupo” e estruturação da comunidade.

Admirado e respeitado por 10 em cada 10 integrantes da comunidade, Paulo é uma raríssima “unanimidade inteligente”, que o grande Nélson Rodrigues (para o azar dele) não conhecia quando cunhou a sua célebre frase.

Paulo é um daqueles caras que a gente tem o prazer e o orgulho de chamar de amigo. Pois, além de ser um grande profissional é muitíssimo gente boa. Conversar com ele sobre qualquer assunto (o cara manja desde Python ao materialismo dialético, rsrsrs) é tão prazeroso quando assistir a um bom filme comendo pipoca.

Paulinho, como é chamado pelos mais próximos, é uma dessas pessoas que nos faz acreditar que a humanidade tem jeito. E por falar em humanidade, vou encerrar essa “breve” introdução, com uma frase usada por ele para assinar os seus emails: “Uma pessoa se faz humana através das outras pessoas”.

Confiram a entrevista:

ENTREVISTA COM PAULO FERNANDES

paulo_fernandes_prodasen_senado

Paulo Fernandes - Prodasen

chapa branca (cb) – QUEM É PAULO FERNANDES?
Paulo Fernandes – (O filho da minha mãe e do meu pai…rsrsrsrsrs). Profissionalmente falando, um analista de sistemas, formado em Processamento de Dados pela UnB, depois de abandonar o curso de Engenharia Elétrica pela metade, porque descobri que eu gostava era de programar os computadores, e não de construí-los. Sempre atuei na área de desenvolvimento de sistemas, primeiro no Serpro e depois no Prodasen. Fiz também uma especialização em gestão de TI, mas, ao contrário do que talvez seja uma tendência natural, me sinto cada vez mais atraído pela parte tecnológica da coisa. E pelas possibilidades de mudança que a tecnologia pode trazer em nossa sociedade.

Ah! Faltou dizer também que tive um bisavô anarquista. Talvez isto explique o gosto pelas comunidades, autogestão, software livre e outros na mesma linha…rsrsrsrsrsrs

cb – COMO, QUANDO E ONDE SURGIU A IDEIA DE CRIAR O GITEC?
Paulo Fernandes – A criação do GITEC era uma das metas estabelecidas dentro do Programa Interlegis. Isto quer dizer, não foi ideia minha. Talvez, a única culpa que eu tive, foi ter começado errado.

Explico. Naquela época, finais de 1999 e começo de 2000, apesar do Interlegis representar as ideias da chamada Sociedade da Informação, com sua construção colaborativa de conhecimento, a maioria de nós, e eu particularmente, vínhamos de experiências mais convencionais de gestão. Daí que a primeira versão do GITEC foi totalmente baseado nesta visão convencional. Era um Grupo de Trabalho, formado por gestores de TI das principais Casas Legislativas, com o objetivo de definir as políticas para desenvolvimento e transferência de tecnologias a serem usadas nas demais Casas. Foi só depois, quando começamos a ter contato com as comunidades envolvidas com o desenvolvimento de Software Livre, é que percebemos que havia uma outra possibilidade de organização para o GITEC, que poderia trazer maior participação e envolvimento das Casas Legislativas, e portanto produzir resultados melhores e mais de acordo com a “filosofia” do Interlegis. É neste ponto, quando o GITEC passou de Grupo de Trabalho para uma Comunidade de Prática (embora tenha mantido o nome), que eu acho que começamos a acertar.

cb – COMO VOCÊ VÊ O SURGIMENTO DAS COMUNIDADES GICOM E GIAL?
Paulo Fernandes – Estas comunidades também já estavam previstas no planejamento inicial do Interlegis. Na minha opinião, faltou às áreas do Programa que seriam responsáveis pela promoção destas comunidades, a oportunidade do conhecimento que obtivemos a partir do contato com modelo de software livre. Por isto elas demoraram a se desenvolver e isto só está acontecendo agora, pela própria experiência daqueles que já participam do GITEC, e pela necessidade natural de separarmos melhor os assuntos.

cb – QUAL A IMPORTÂNCIA DAS COMUNIDADES DE PRÁTICA NO PROCESSO DE MODERNIZAÇÃO DO SERVIÇO PÚBLICO BRASILEIRO?
Paulo Fernandes – Creio que o desenvolvimento e a participação em Comunidades de Prática (CdP) é mais uma ferramenta que o gestor, público ou privado, deva ter em sua caixa, principalmente quando se trata de problemas que envolvem a construção colaborativa de conhecimento. A formação de grupos de ação em torno de interesses comuns não é novidade, acontece desde o início dos tempos. Mas a importância destes grupos cresce quando o Conhecimento passa a ser um ativo cada vez mais valorizado nas organizações, e também com as possibilidades que as Tecnologias da Informação e Comunicação trazem para aperfeiçoar o trabalho destes grupos.

cb – EM SUA OPINIÃO, QUAL A MAIOR CONQUISTA DAS COMUNIDADES INTERLEGIS ?
Paulo Fernandes – É romper o isolamento que a maioria dos servidores das Casas Legislativas ainda vive. Câmaras Municipais são órgãos únicos nas cidades, e muitas vezes o encarregado pela informática trabalha sozinho ( a famosa “euquipe”). É certo que só a internet já propicia em algum grau a quebra deste isolamento, mas melhor ainda se ele puder ter contato com membros de outras Casas Legislativas, cujos problemas são mais parecidos aos seus. E ainda melhor se, além de romper o isolamento, ele puder sentir que não está apenas absorvendo tecnologia e orientações geradas em um “nível hierárquico superior”, mas que faz parte de um grupo que está construindo todo este valor.

cb – O QUE VOCÊ SENTE AO VER O CRESCIMENTO VERTIGINOSO DO GITEC NOS ÚLTIMOS TEMPOS?
Paulo Fernandes – Um prazer, e porque não, um orgulho enorme de poder ter feito parte disto. Ainda me emociono com o crescimento profissional e também pessoal que, ao longo do tempo, podemos perceber claramente nos participantes do grupo. E também com os benefícios que isto traz para nossas organizações e sociedade em geral. Creio que o GITEC é uma comunidade adulta, consolidada, e que continuará rendendo muitos bons frutos. Espero que esta maturidade seja alcançada pelas demais comunidades do Interlegis também.

cb – QUAL A SUA EXPECTATIVA PARA O II ENCONTRO GITEC? QUAL(IS) O(S) TEMA(S) VOCÊ GOSTARIA DE DISCUTIR NESTE ENCONTRO?
Paulo Fernandes – Principalmente, espero poder encontrar os amigos. Apesar das facilidades da internet, ainda não se compara a uma boa conversa frente a frente. E apesar de eu já ter ouvido falar em cerveja “de código aberto”, eu ainda não conheço nenhuma virtual que valha a pena…

Posts Relacionados

9 Comentários »

  • Alex Amaral says:

    Paulo,

    Parabéns pela entrevista. E muito sucesso!!!!

  • Marcos T says:

    Grande entrevista. Parabéns Paulo!!!

    Todos nós somos admiradores do teu trabalho!!!!

  • Carlos says:

    Maravilha de entrevista pessoal.

    “A César o Que é de César”!!!!!!

  • Mauricio Silva says:

    Paulinho, que bom “ouvir” você de novo. Esta entrevista já está nos arquivos para futuros eventos. Parabens.
    Mauricio
    Interlegis

  • Liandra Feitosa says:

    Parabéns Paulo, você realmente merece!!!!

  • Paulo Freitas says:

    Meus parabéns Paulo!!!!

  • André Brum says:

    Paulo, parabéns.

    Lá atrás, sempre lembravas, a cada telefonema meu, que seria bacana se eu usasse a lista para dirimir dúvidas. Bem, acho que aprendi a lição. Continue nos iluminando.

  • Otto Nascimento says:

    Parabéns ao blogueiro pela iniciativa de entrevistar o Paulo Fernandes, em uma justa homenagem ao incentivador das comunidades de prática no Interlegis. Tive a oportunidade de trabalhar junto com o Paulo, no início do Programa, e testemunho sua perseverante defesa das idéias “corretas”, quando muitos tombávamos no campo das batalhas políticas.
    Adiciono ao perfil do entrevistado, as características de grande pesquisador e Pai do Biólogo Estevão.

    Ótima entrevista!

  • Hélio Teixeira says:

    Otto,

    Posso também dá o meu testemunho da importância do Paulo para esta comunidade.

    Lembro agora de um episódio que aconteceu no início desta década. No primeiro curso que participei no Interlegis. Evento que foi determinante para a união do grupo que faria (nos anos seguintes) o Gitec crescer e amadurecer enquanto comunidade.

    Tive um problema na reserva das minhas passagens aéreas. A empresa aérea queria me cobrar um valor a mais pelo bilhete, pois havia uma diferença de tarifas (uma confusão da Vasp já em seus últimos dias de operação). Isso era um sábado à noite (bem tarde da noite rsrsrsrs), e a minha viagem estava marcada para o dia seguinte pela manhã.

    O Interlegis estava fechado e liguei pro Paulo dizendo que não poderia ir ao curso e relatei o que estava acontecendo.

    Ele disse que resolveria o caso que ligaria na agência de viagens para resolver, mas que fazia questão da presença de todos.

    Até hoje não sei o que ele fez, só sei que no dia seguinte o pessoal da empresa aérea me ligou dizendo que estava tudo certo e que eu poderia viajar.

    Esse episódio não deixa dúvidas quanto ao compromisso e a importância do Paulo para a formação da nossa comunidade.

    Como eu já disse acima, o Gitec não seria o que é hoje sem o trabalho do Paulo!!!!

Qual a sua opinião sobre este artigo?

Envie o seu Comentário abaixo, ou trackback a partir do seu próprio site. Você pode ainda assinar os comentários deste artigo via RSS.

Seja legal. Mande apenas o seu comentário. Não envie Spans.

Você pode usar esses tags:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Para ter sua foto ao lado de seu comentário é preciso ter cadastro no site Gravatar. Tendo isso, sua foto será sempre exibida no CHAPA BRANCA e em qualquer outro lugar que também use o Gravatar.