Estação de Tratamento de Água (ETA)

 

O tratamento de águas residuais apresenta novos desafios todos os dias. Quando se trata de purificar águas residuais, os construtores de plantas em todo o mundo enfrentam o mesmo desafio: mais e mais produtos sólidos, como lenços umedecidos e outros conteúdos filamentosos, são encontrados em águas residuais ou águas residuais, como lenços umedecidos e outros conteúdos filamentosos que pode entupir as bombas. No entanto, uma planta de purificação, especialmente em um período de redução de orçamento e aumento da complexidade do processo, deve ser capaz de operar da forma mais eficiente, sem problemas e com manutenção mínima.

Para que possamos usar itens de limpeza, cozer alimentos, corporificar a assepsia, dentre outras aquilo que se faz que utilizem água de maneira tranquila, a água destinada ao uso humano precisa abarrotar condições mínimas para que seja ingerida ou usada para fins higiênicos, o que se pode por meio de dos processos de uma época de tratamento. Quer sabe ainda mais sobre ETA ? Entre em contato com a nossa equipe http://saluta.com.br/.

A otimização dos recursos hídricos é uma tarefa que demanda esforços de todos os setores da sociedade, e a Allonda tem plena consciência disso. Seja para a diminuição do consumo, uso sensato ou consumo e reutilização conscientes: independentemente do objetivo do projeto, temos o know-how e a equipe especializada para desenvolver soluções ecológicas de engenharia focadas na gestão do ciclo da água.

Atuamos em projetos de tratamento de água para uso público voltados para diversos tipos de indústrias, agronegócios e segmentos de infraestrutura. Realizamos projetos de engenharia para segmentado e mediação de redução de perdas de consumo e implementação de soluções personalizado para cada processo produtivo.

Além disso, temos um importante diferencial. Em todos os nossos trabalhos envolvemos nossos clientes em ações de sustentabilidade e programas de educação ambiental e uso consciente da água. Esses programas acontecem em 100% de nossas operações e são voltados não apenas para nossos colaboradores e do cliente, mas também para a comunidade do entorno e empresas terceirizadas.

Tecnologias para o tratamento de água
Temos expertise no fornecimento de águas tratadas com diversas finalidades, incluindo o tratamento de águas de rios, mananciais, poços e drenagem de águas pluviais. Além disso, trabalhamos na reciclagem e geração de água reutilizável. Entregamos água potável para consumo humano e atendemos ao padrão de qualidade estabelecido pelo Ministério da Saúde e água industrial dentro dos parâmetros de processo definidos por nossos clientes.

Estamos na totalidade do ciclo das águas; captar, adicionar, tratar e distribuir água. Projetamos, construímos e operamos em estações convencionais de tratamento de água (ETA), através de processos de coagulação, floculação e filtração. Também desenvolvemos estações com tecnologias avançadas como flutuação em ar dissolvido, ultrafiltração em membranas, eletrocoagulação, osmose reversa, mudança iônica, oxidação avançada, entre outros processos.

Reúso de água

O reaproveitamento da água do processo das chuvas é mais do que uma necessidade financeira de dedução de custos e otimização de recursos; é uma questão de alta prioridade ambiental.

A Allonda desenvolve projetos de engenharia em unidades de reúso e está apta a executar a implantação de sistemas de reúso de água em diversos processos – desde irrigação de jardins e lavagem de pisos, até água desmineralizada para processos industriais.

Fonte de Reprodução: Getty Images

Vejamos as ciclos que acontecem no processamento de tratamento da água:

1 – Absorção, a água passa por um sistema de grades que impossibilita a chegada de abc macroscópicos grosseiros (animais mortos, folhas, etc.) no sistema. Parte das partículas está em adiamento fina, em estado coloidal ou em saída, e por ter dimensões bastante reduzidas (como a argila, tendo como exemplo), não se depositam, dificultando a retirada.

2 – Coagulação, visa aglomerar essas partículas, aumentando o seu volume e peso, permitindo que a alcance possa comportar-se. Isto é realizado, frequentemente, por intermédio da acrescentamento de cal hidratada (hidróxido de cálcio) e sulfato de alumínio, sendo agitada depressa. Estes materiais fazem as partículas de bodega se juntarem.

3 – Floculação, a água é agitada aos poucos, para sorrir a casamento das partículas de bodega, formando os flocos. Em saída alcalina, o sulfato de alumínio reage com íons hidroxila, acabando em polieletrólitos de alumínio e hidroxila (policátions) com até 13 átomos de alumínio. Estes polieletrólitos de alumínio atuam pela ação eletrostática com partículas de argila carregadas negativamente e pelas ligações de hidrogênio por causa de ao algarismo de categorias AH, formando uma barga com microestrutura porosa (flóculos).

4 – Decantação, a água não é mais agitada e os flocos vão se depositando no fundo, separando-se da água. O aluvião do fundo é arrumado para tanques de depuração. O ideal é que ele seja adaptado em adubo, em um biodigestor. A água mais aberta vai para o beberagem de areia.

5 – Absorção. A água já decantada passa por um beberagem de cascalho/areia/antracito (carvão mineral), no qual vai se livrando dos flocos que não foram decantados na ciclo antecedente e de alguns microrganismos.

6 – Cloração. A água filtrada está aberta, porém também pode abarcar microrganismos causadores de doenças. Por causa disso, ela recebe um produto que possui cloro, que floresta os microrganismos. Na água, o cloro age de duas formas principais: a) como anti-séptico, destruindo ou inativando os microorganismos patogênicos, algas e bactérias de vida aberto; e b) como oxidante de compostos orgânicos e inorgânicos existentes. No momento em que o cloro é inserido a uma água isenta de impurezas, acontece a posterior comportamento: Dependendo do pH da água, o ácido hipocloroso (HClO) se ioniza, formando o íon hipoclorito (ClO–), de acordo com a comportamento a seguir: Os dois os compostos contem atuação anti-séptico e oxidante; no entanto, o ácido hipocloroso é mais efetivo que o íon hipoclorito na aniquilamento dos microrganismos em maior parte.

Fonte de Reprodução: Getty Images

7 – Fluoretação. Nas grandes cidades brasileiras a água fraude também recebe o flúor, que auxilia a proteger-se a consumição dentária.

8 -Reservação. A água fraude é armazenada em grandes reservatórios, antes da abastecimento. Estes reservatórios constantemente são instalados nos locais maiores das cidades.

9 – Abastecimento. A água fraude é distribuída para as residências, comércio e indústria a partir dos reservatórios de água bebível. * A revisão de PH é ensejo no momento em que se bota cal hidratada ou carbonato de sódio, corrigindo uma possível alcalinidade da água (PH). Esse técnica similarmente previne uma possível corrosão futura da barga de adutora que irá racionar a água fraude.

Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Esta%C3%A7%C3%A3o_de_tratamento_de_%C3%A1gua